Todos os anos os membros da AIEP são chamados a eleger aquela personalidade portuguesa que mais se distinguiu pela sua actividade de promoção do nome de Portugal pelo mundo fora.

2015 - Vhils (Alexandre Farto), artista plástico, pelo impacto que têm tido pelo mundo o seu trabalho em espaços urbanos,
          marcadamente original tanto nos seus conceitos como nas suas técnicas.

2014 - Carlos do Carmo, o mais importante fadista da atualidade, no ano em que recebeu um Grammy –
           o primeiro português a ser galadoardo desta maneira pela Latin Recording Academy.

2013 - Mário Soares, pela sua longa e intensa trajectória política, e também pela enérgica actividade
          realizada ao longo deste ano pelo ex-presidente da República.

2012 - Joana Vasconcelos,pela notável carreira da artista, que se tornou, no ano passado, na primeira mulher e criadora mais jovem a
           expor algumas das suas obras no emblemático Palácio de Versailles, em Paris

2011 - Eduardo Souto Moura, um dos mais relevantes arquitetos de sua geração. As construções que planeia deixam uma marca no seu entorno

2010 - Fundação Champalimaud, pelo seu trabalho no mundo da ciência e a investigação e a sua aposta na cura do cancro com
           o novo centro de investigação e tratamento em Lisboa

2009
- Paula Rego, pela sua trajectória profissional como pintora ao longo das últimas décadas e a abertura da Casa das Histórias

2008
- O futebolista Cristiano Ronaldo pelo seu trabalho na sua ainda curta carreira profissional, sendo um dos portugueses que mais está a
           contribuir na divulgação do nome de Portugal fora do seu país

2007 - A atleta de triatlo Vanessa Fernandes, número um do mundo na sua modalidade, pelo seu brilhante percurso profissional, com 19
           títulos, e pelo seu exemplo de trabalho e sacrificio

2006 - Fundação Gulbenkian, pelo papel fundamental que tem representado no panorama cultural, artístico e educativo
           português nos últimos 50 anos.

2005 - António Guterres devido à nomeação para dirigir o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

2004 - José Manuel Barroso, pela projecção inegável que Portugal ganhou com a sua eleição para o cargo de presidente da
           Comissão Europeia.

2003 - A  fadista Mariza por ter levado o fado pelo mundo fora, através de interpretações inovadoras.

2002 - O arquitecto Álvaro Siza Vieira, marco da arquitectura mundial.

2001 - O cineasta Manoel de Oliveira, uma das mais importantes figuras do cinema português e mundial.

2000 - O futebolista Luís Figo, pela excelência no desporto.

1999 - A embaixadora Ana Gomes, pelo seu empenho na causa timorense.

1998 - O escritor José Saramago, Prémio Nobel da Literatura.

1997 - António Mega Ferreira, por ter conquistado para Portugal a organização da Exposição Universal Expo' 98,oportunidade
           única para promover a imagem dum país moderno e renovador.

1996 - A desportista Fernanda Ribeiro, pela sua excelência, pelo exemplo de fair-play e espírito olímpico.

1995 - OS Capitães de Abril, singela homenagem aos heróis da revolução que trouxe a democracia a Portugal.

1994 - O actor Joaquim de Almeida, pelas  interpretações que se fizeram notar na cinematografia mundial.

1993 - O secretário de Estado da Cooperação, José Manuel Durão Barroso, pelo empenho pessoal na assinatura do Acordo de Paz
           para Angola (Acordo de Bicesse).

1992 - O empresário Francisco Pinto Balsemão, por ter aberto as portas da iniciativa privada no mercado das televisões.

1991 - O escritor Miguel Torga, por ter maravilhado com as suas palavras, milhares de leitores de todo o mundo.

1990 - O guitarrista Carlos Paredes, por ter projectado internacionalmente o som único da guitarra portuguesa.

 © 2006-2013 AIEP